O PAPEL DA CONVENÇÃO DE MÉRIDA NA REFORMA DA LEI DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA: A SUPRESSÃO DE SEU ART. 17, §1º, E A ABERTURA DA POSSIBILIDADE DE CONSENSUALIDADE POR MEIO DO ACORDO DE NÃO PERSECUÇÃO CÍVEL (ANPC), EM DECORRÊNCIA DA INCLUSÃO DO SEU ART. 17-B

Autores

  • ERIKA KARINE SANTOS Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Palavras-chave:

Corrupção; Lei de Improbidade Administrativa (LIA); Consensualidade; Interesse Público; Convenção de Mérida.

Resumo

Mudanças no contexto global, a exemplo da diminuição do controle estatal, da internacionalização das movimentações financeiras e comerciais e da massificação das informações e comunicações, criaram um novo mundo favorável à complexidade e à propagação da corrupção. Desse fenômeno, nasce uma preocupação mundial de resolução de tal problemática que afeta o erário, os direitos sociais e o desenvolvimento das Nações, especialmente o Brasil, país originário de vários escândalos criminosos, os quais fundamentaram a necessidade de adesão a um importante instrumento internacional, que foi a Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção (CNUCC), também denominada Convenção de Mérida. Esse instrumento legal, já ratificado pelo Brasil, foi promulgado pelo Decreto nº 5687, de 31 de janeiro de 2006; e embasou mudanças no ordenamento jurídico interno, dando respaldo à Reforma da Lei de Improbidade Administrativa (LIA), com a edição da Nova Lei nº 14.230/21 que reformou o artigo 17, §1º, suprimindo a vedação a acordos, transações ou conciliações, e incluiu o art. 17-B que admitiu a consensualidade no âmbito da improbidade administrativa por meio do Acordo de Não Persecução Cível (ANPC). O fundamento legal foi o art. 37, §3, da Convenção em destaque, que autoriza a adoção de medidas apropriadas a toda pessoa que preste cooperação substancial na investigação ou no indiciamento dos delitos nela qualificados. Verifica-se, assim, que a adoção da consensualidade no âmbito da LIA é uma evolução da antiga concepção de indisponibilidade do interesse público, correspondendo, atualmente, a um instrumento efetivo para punição e prevenção de atos ímprobos.

Referências

BARBOZA, Márcia Noll. Cem perguntas e respostas sobre improbidade administrativa: incidência e aplicação da Lei n. 8.429/1992. 2. ed. rev. atual. Brasília: ESMPU, 2013.

BRASIL. Câmara dos Deputados. 20 anos do impeachment do Collor. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/plenario/discursos/escrevendohistoria/destaque-de-materias/20-anos-do-impeachment. Acesso em: 2 dez. 2022.

BRASIL. Decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Diário Oficial da União, 9 ago. 1943. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del5452.htm. Acesso em: 2 dez. 2022.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Lei nº 8.429, de 02 de junho 1992. Dispõe sobre as sanções aplicáveis aos agentes públicos nos casos de enriquecimento ilícito no exercício de mandato, cargo, emprego ou função na administração pública direta, indireta ou fundacional e dá outras providências. Diário Oficial da União, 3 jun. 1992. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8429.htm#ementa. Acesso em: 03 dez. 2022.

BRASIL. Decreto nº 5.687, de 31 de janeiro de 2006. Promulga a Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção, adotada pela Assembléia-Geral das Nações Unidas em 31 de outubro de 2003 e assinada pelo Brasil em 9 de dezembro de 2003. Diário Oficial da União, 1 fev. 2006. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/decreto/d5687.htm. Acesso em: 25 mar. 2022.

BRASIL. Lei nº 12.850, de 2 de agosto de 2013. Define organização criminosa e dispõe sobre a investigação criminal, os meios de obtenção da prova, infrações penais correlatas e o procedimento criminal; altera o Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal); revoga a Lei nº 9.034, de 3 de maio de 1995; e dá outras providências. Diário Oficial da União, 5 ago. 2013. Edição Extra. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12850.htm. Acesso em: 8 dez. 2022.

BRASIL. Lei nº 14.230, de 25 de outubro de 2021. Altera a Lei nº 8.429, de 2 de junho de 1992, que dispõe sobre improbidade administrativa. Diário Oficial da União, 26 out. 2021. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2021/lei/l14230.htm. Acesso em: 03 dez. 2022.

CABRAL, Antonio do Passo. Pactum de non petendo: a promessa de não processar no direito brasileiro. In: DIDIER JR, Fredie; BRAGA, Paula Sarno (org.). Gestão de sistemas de justiça e de mecanismos de efetivação dos direitos. 2. ed. Salvador: Faculdade Baiana de Direito, 2021.

CARVALHO FILHO, José dos Santos. Manual de Direito Administrativo. 25 ed. São Paulo: Atlas, 2012.

CASTRO, Renato de Lima. Acordo de Não Persecução Cível na Lei de Improbidade Administrativa. Revista do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, n. 77, jul./set. 2020. Disponível em: https://www.mprj.mp.br/documents/20184/1904662/Renato_de_Lima_Castro.pdf. Acesso em: 28 mar. 2022.

CIBERDÚVIDAS DA LÍNGUA PORTUGUESA. A origem da palavra corrupção. 2007. Disponível em: https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/a-origem-da-palavra-corrupcao/21753#. Acesso em: 12 maio 2023.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA – CNJ. Lei de Improbidade Administrativa Obstáculos à plena efetividade do combate aos atos de improbidade. Brasília: CNJ, 2015. p. 12. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/wp-content/uploads/2018/01/0c9f103a34c38f5b1e8f086ee100809d.pdf. Acesso em: 22 dez. 2022.

COSTA, José Armando da. Contornos jurídicos da improbidade administrativa. 3. ed. Brasília: Brasília Jurídica, 2005. 315 p.

DIAS, Ricardo Gueiros Bernardes; PEREIRA, Diogo Abineder Ferreira Nolasco. Justiça multiportas e os conflitos envolvendo a Administração Pública: arbitragem e os interesses públicos disponíveis. Revista Jurídica Unicuritiba, v. 3, n. 60, p. 361-383, jul./set. 2020.

GOMES JÚNIOR, Luiz Manoel; LIMA, Diogo de Araújo. Aspectos gerais e controvertidos do Acordo de Não Persecução Cível. Revista do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, n. 80, abr./jun. 2021. Disponível em: https://www.mprj.mp.br/documents/20184/2346109/Luiz+Manoel+e+Diogo+de+Araujo.pdf. Acesso em: 5 dez. 2022.

JUSTEN FILHO, Marçal. Curso de Direito Administrativo. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

LOPES, P. L. Atuação administrativa consensual: acordo substitutivo envolvendo atos de improbidade administrativa. Revista de Processo, v. 274, p. 383-407, 2017.

MENSALÃO: cronologia do caso. Memoria Globo, 30 nov. 2021. Disponível em: https://memoriaglobo.globo.com/jornalismo/coberturas/mensalao/noticia/mensalao-cronologia-do-caso.ghtml. Acesso em: 4 dez. 2022.

PALMA, Juliana Bonacorsi de. Atuação administrativa consensual: estudos dos acordos substitutivos no processo administrativo sancionador. 2010. Dissertação (Mestrado em Direito do Estado) – Faculdade de Direito, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

ROCHA, Patrícia Barcelos Nunes de Mattos. Corrupção na era da globalização. Curitiba: Juruá, 2009.

SCHÜTT, Júlia Flores. Elevação do risco à prática do ato ímprobo como meio de combate à impunidade e o direito consensual. O Ministério Público na Defesa da Probidade Administrativa, Brasília, p. 141, 2019. Disponível em: https://www.cnmp.mp.br/portal/images/Publicacoes/documentos/2019/Revista_Defesa_da_Probidade_Administrativa.pdf. Acesso em: 3 dez. 2022.

TRANSPARÊNCIA INTERNACIONAL. Brasil. Índice de percepção da corrupção 2022. Disponível em: https://transparenciainternacional.org.br/ipc/. Acesso em: 1 dez. 2022.

TRANSPARÊNCIA INTERNACIONAL. Brasil. Sobre a TI. Disponível em: https://transparenciainternacional.org.br/quem-somos/sobre-a-ti/. Acesso em: 21 maio 2023.

UNITED NATIONS. United Nations Convention against Corruption (UNODOC). New York: United Nations, 2004. Disponível em: https://www.unodc.org/unodc/en/corruption/uncac.html. Acesso em: 25 mar. 2022.

VIEIRA, Judivan J. Perspectiva Histórica da Corrupção: Livro I. Brasília: Thesauros, 2014.

Downloads

Publicado

2023-08-31

Como Citar

SANTOS, E. K. O PAPEL DA CONVENÇÃO DE MÉRIDA NA REFORMA DA LEI DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA: A SUPRESSÃO DE SEU ART. 17, §1º, E A ABERTURA DA POSSIBILIDADE DE CONSENSUALIDADE POR MEIO DO ACORDO DE NÃO PERSECUÇÃO CÍVEL (ANPC), EM DECORRÊNCIA DA INCLUSÃO DO SEU ART. 17-B. Revista do Ministério Público de Contas do Estado do Paraná, [S. l.], v. 10, n. 18, p. 165–179, 2023. Disponível em: https://revista.mpc.pr.gov.br/index.php/RMPCPR/article/view/144. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos